Gosto Disso.com transforma propaganda em dinheiro ao Usuário

Escrito por

Empresários de Campo Grande, Mato Grosso do Sul, desenvolveram uma ferramenta que caiu no gosto do consumidor brasileiro de Norte a Sul do País, é o site e aplicativo de sugestivo nome Gosto Disso que divide as receitas de publicidade com os usuários pela quantidade de notícias que lê ao longo do dia ou acessa suas peças publicitárias no interior de suas milhares de páginas. Situação que está ajudando as pessoas terem uma graninha pra abastecer celular, por exemplo. Usuários chegam a ganhar até R$ 120,00 no acumulado de três meses. Mais que o valor básico do Bolsa Família por pessoa, que é de R$ 70,00 por pessoa previsto em Lei.

“O usuário faz um cadastro em nosso sistema. A partir daí ele preenche seu perfil (o que ele gosta de consumir, o que mais lhe interessa) e a plataforma vai cruzar as informações e assim que a pessoa se logar, vai receber tudo que ela gosta num clique. Acessou, leu ou assistiu a vídeos, ganhou entre 0,06 a 0,10 centavos por cada experiência ou interação”, explicou Eduardo J. Warde, um dos sócios do Gosto Disso.

Já são mais de 70 mil usuários espalhados pelo Brasil. Considerando que o produto é uma startup, ou seja, acabou de ser implantado, o negócio se espalhou rápido pelas redes sociais.

“O dinheiro contabilizado pode ser resgatado em conta corrente ou por créditos de celular”, explicou o sócio da Gosto Disso, Derek Godoy.

Para facilitar a navegação no Gosto Disso, as categorias-padrão são divididas em subcategorias. A composição delas resulta em mais de 70 opções, que podem ser escolhidas e filtradas pelo próprio usuário.

“O cadastro é gratuito e funciona da seguinte forma: O site avalia o perfil cadastrado e uma vez que o usuário se loga, a plataforma envia somente o que for relevante para a página pessoal do usuário, conforme as opções escolhidas. Assim, o usuário recebe somente aquilo que for do seu interesse. Para cada interação com conteúdo e propaganda que ele preze em ver ou assistir, o Gosto Disso paga um valor em dinheiro, oriundo da divisão da receita das publicidades anunciadas, para o respectivo consumidor/leitor”, declara Eduardo Warde.

Comentários

Artigos da Categoria:
Tecnologia

Faça um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *