O descaso com os pontos de ônibus em Porto Belo

Escrito por

Estamos falando de pontos de ônibus construídos em 2015 e 2016, ao valor de R$ 6.500,00 cada.

Veja esse nas fotos, quase caindo na Avenida Colombo Machado Salles, Perequê

A maioria em estado deplorável.

As dúvidas são inúmeras: empregaram material de péssima qualidade, faltou manutenção, vandalismo?

Caso tenha sido empregado material inadequado caberia a gestão do Prefeito Emerson Stein e Vice Elias Cabral denunciar a gestão anterior por ineficiência do emprego de verba pública, para tal tem muitos advogados contratados na Prefeitura.

Se foi por falta de manutenção, também cabe a responsabilidade da atual gestão.

Enfim, não é porque mudou o governante que não se deve preocupar com o que foi feito na gestão anterior, já que ex-prefeito não tem mais poder, mas mantem a responsabilidade

Muitas vezes deixa-se de realizar a devida manutenção de equipamentos para evidenciar as diferenças de administração, porém a campanha eleitoral acabou há muito tempo.

Um prefeito eleito arca com a responsabilidade do bem e do mal feito ( bônus e ônus) da gestão anterior, mesmo porque não foram obrigados a se candidatarem.

E o lema da campanha do Emerson e Elias foi o símbolo do + e por isso foram eleitos, nesse caso também se pede mais atitude e menos política arcaica de penalizar a população para ela sofrer nos equipamentos construídos pelo então adversário partidário.

Ato comum na velha política ainda presente.

No final, tanto os pontos de ônibus, como os salários dos prefeitos, vice e advogados são pagos com o dinheiro do cidadão, pagador de imposto, no mínimo espera-se mais zelo pelo bem público, não importando quem o construiu.

Eu sei, tem os Pontos Novos, ainda assim é importante a população questionar se esses também não ficarão velhos em 2 ou 3 anos.

Para isso, não precisa ir a Espanha e Brasília, o problema é sanado com eficiência em gestão pública.

E os vereadores, achando que só reclamar basta, isso nós cidadãos fazemos de graça, encaminhamos uma reclamação na ouvidoria da Prefeitura, ainda sem resposta.

Artigos da Categoria:
Mobilidade

Faça um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *