Pesquisa aponta o objeto tecnológico mais desejado em 2016

Escrito por

Enquanto o smartphone continua como objeto tecnológico mais desejado, a maioria dos brasileiros ainda sonha possuir carros elétricos e híbridos em 2016.  Este foi o resultado de pesquisa do IEEE, maior organização profissional do mundo dedicada ao avanço da tecnologia para benefício da humanidade, sobre as principais tendências tecnológicas que vão dominar o cenário em 2016.

Nas ruas, restaurantes, transportes coletivos, praticamente em todos os locais, uma cena domina a paisagem: alguém teclando ou falando em seu smartphone. E a força desta tecnologia se confirma em pesquisa realizada pelo Instituto Datafolha a pedido do IEEE, maior organização profissional do mundo dedicada ao avanço da tecnologia para benefício da humanidade, segundo a qual o smartphone será o item tecnológico mais influente em 2016 (com 25% da amostra). Logo em seguida, com 22%, vêm os aplicativos para a saúde. Tablets e carros elétricos e híbridos empatam em terceiro lugar, com 18% das previsões.

Entre os dias 23 e 27 de novembro, a Datafolha realizou 2.074 entrevistas em amostra representativa da população brasileira acima dos 16 anos (o que equivale a 151.389.175 habitantes) em mais de 120 municípios de todas as regiões do País. E, entre os mais jovens, os smartphones alcançam 35% das citações, enquanto a amostra de pessoas mais velhas revelou maior dificuldade em apontar essas tendências, sobretudo na faixa de menor escolaridade e renda mais baixa.

Também figuram como tendências para o próximo ano: tablets (18%), notebooks (15%), drones (15%) e tecnologia para implante em humanos (15%), automação residencial (14%), aparelhos digitais de música ou aparelhos sonoros digitais (12%), impressoras 3D (12%), robôs (11%) e realidade Virtual (9%).

“Estes indicadores reforçam a crescente preocupação da população com o monitoramento da saúde e do bem estar e que enxergam as novas tecnologias como importantes aliadas por mais qualidade de vida e saúde”, destaca Raul Colcher, membro sênior do IEEE no Brasil.


Supérfluos

A pesquisa também quis saber quais os itens que serão mais supérfluos em 2016 – lista liderada pelas câmeras digitais com 17% das opiniões (e 30% entre os mais escolarizados), já que hoje sua função pode ser exercida pelo smartphone. Em segundo lugar vêm os aparelhos digitais de música ou aparelhos digitais sonoros (com 12%), igualmente “vítimas” da proliferação dos smartphones, que também cumprem essas funções. Em terceiro lugar, bem abaixo, empatam três itens, com 8%: robôs, notebooks e tablets.

Sonho

E quais os itens que a população brasileira sonha possuir em 2016? Segundo o Datafolha, venceram os carros elétricos e híbridos, com 16% das respostas, sobretudo entre homens e com maior escolaridade. Logo em seguida vêm os aplicativos para saúde, com 15%, e os smartphones mais avançados, com 14%. Segundo o Datafolha, a escolha desses itens é coerente com a atual realidade das pessoas, que cada vez mais buscam alternativas sustentáveis e econômicas para suas rotinas e se preocupam com seu bem-estar. As faixas etárias também tiveram grande peso nas respostas: entre os mais jovens, a maioria dos itens avaliados ficou acima da média geral, como a realidade virtual, que obteve 18% das preferências entre eles (o dobro do total das menções), e os robôs, que receberam 19% das indicações (contra 11% do total da amostra). Entre os mais escolarizados também são registrados índices acima da média, como os drones, que obtiveram 27% das indicações (contra 15% do total). Para o Datafolha, a percepção da população sobre os itens tecnológicos avaliados depende do entendimento sobre cada um deles, muitos ainda pouco conhecidos. No caso dos aplicativos para a saúde, por exemplo, ainda é necessário aprofundar a interpretação dos resultados, para determinar se os entrevistados os destacaram apenas pela expectativa genérica de que ajudarão no combate às doenças ou se já conhecem especificamente suas funções.

Comentários

Artigos da Categoria:
Tecnologia

Faça um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *