Professores indignados com a retirada de incentivos pela gestão do Prefeito Emerson Stein e Vice Elias Cabral

Escrito por

A indignação é referente ao projeto de lei da gestão do Prefeito Emerson Stein e Elias Cabral, em votação na Câmara de Vereadores, que retira dos professores em tratamento de saúde o valor de regência em sala de aula

Conforme cita no sexto parágrafo:

A votação principal foi agendada para 1º de agosto às 19 h na Câmara de Vereadores de Porto Belo, centro.

Será mais uma ação para desmotivação desta classe pouco valorizada.

Muitos acreditaram na promessa do professor Elias de mais empenho para valorização dessa profissão em Porto Belo, estão decepcionados.

É muito triste, é porque eles são de ferro, nunca ficam doente, vão pensar em melhorar o salário dos professores”

Cleice

É injusto. Nós somos sempre desmotivados a trabalhar só tirando de quem tem amor pela profissão. Muito me admira Professor ELIAS

Mariluci

queria ver quando eles [Prefeito e Vice] adoecessem se diminuísse o salário

Lídia

Não tem que tirar nenhum direto adquirido do professor e sim aumentar os direitos e o salário miserável que nos pagam

Regina

por isso o Brasil está assim o professor não é valorizado. existe dinheiro para todas falcatruas dos políticos, mas nada para educação. vamos protestar com mais firmeza e rigor

Jaime

Está marcada a data de 1° de Agosto para a votação da retirada de regência para professores que estiverem de atestado médico. Então, lhes pergunto: Quando estamos doentes não precisamos de dinheiro para comprar remédios? O professor é a profissão que menos recebe. Ensinamos e cuidamos dos filhos da sociedade, nos responsabilizamos até mesmo pela educação dos que não tem uma família estruturada! E na hora que precisamos de auxílio querem tirar? Que diminuam o número de secretarias, que diminuam os cargos de confiança, mas nos deixem pelo menos com o mínimo de dignidade! E tem mais, se algum professor ler esta mensagem, por favor não faltem no dia da votação! E não esqueçam que ano que vem terá eleição!

mensagem de Professor

estando o professor designado para uma regência, assume compromisso muito além da presença em sala, eventuais afastamentos não tiram do professor sua responsabilidade. não há pq retirar o incentivo; é uma situação diferente daquele professor que opta por atuar, por exemplo, na secretaria de educação – aliás, ele vai cortar gratificação dos diretores, enquanto tiverem impedimentos temporários por saúde?

Denise

Ao invés de retirar, fiscaliza. E tem mais, após 15 dias de atestado não tem que passar pela perícia do SUS? A secretaria não tem um controle da quantidade de atestados? Verifica o número de atestado por profissional. E não esqueçam que o número de profissionais eficientes e comprometidos, estão na escola! E uma dica, a gestão deveria se perguntar porque tantos profissionais adoecem e pedem atestados? Não é um reflexo da falta de investimentos para uma escola de qualidade onde possamos trabalhar dignamente e priorizar o bem estar de professores e alunos? Uma autoavaliação administrativa é mais eficaz do que tentativas de punição!

Rosa

o bom não deve pagar pelo mau! Lembrando que não é só os professores que faltam, todos os servidores de todos os departamentos faltam também! Mas por que somente os professores serão prejudicados?

querem descontar mais e de algo que é direito adquirido. E, Afinal, professor não é só professor em sala de aula! Esse problema de faltas têm que ser resolvido de outra forma, e não dessa lamentável!

Se um professor que está à frente de um cargo que pode tentar ao menos valorizar a própria classe não o faz, quem dirá o resto dos políticos! Lembrando que ele é “servidor” público também! Ou será, que ele nunca precisou faltar por motivo de doença? Lamentável!

Quem pega atestado por pegar, continuará pegando! Agora repito, o bom não deve pagar pelo mau!

Quem pega atestado por pegar, continuará pegando! Agora repito, o bom não deve pagar pelo mau!

Kristiani

essas pessoas estão usando casos isolados para tirar direitos de toda uma classe. É lamentável!

Ziza

É muito triste, é porque eles são de ferro ,nunca ficam doente ,vão pensar em melhorar o salário dos professores .

Cleice

a regência não é um benefício, é um incentivo; uma administração séria, antes de pensar em sua retirada em situações de saúde, deveria analisar o que ocorre com os professores, que doenças são prevalentes, se são evitáveis; já existem dados nacionais de um grande número de quadros depressivos entre professores sinalizando uma doença ocupacional; profissionais com pouca carga horária para preparo de aulas e correções, uma vez que a maioria dos municípios não cumpre a legislação no que diz respeito à hora-atividade (não sei se pb cumpre), que são instados a realizar estas tarefas sem espaço físico adequado (salas de professores são barulhentas e com muita circulação de gente); os professores estão tendo que encarar mazelas sociais como alunos de famílias desestruturadas (alguns até abusados em ambiente doméstico), entre outras mil coisas – e, se ousar ficar doente, será penalizado; eu fico me perguntando se a prefeitura de pb cumpre a legislação em relação ao professor, se disponibiliza apoio psicológico, de serviço social às escolas (para que os professores não precisem exercer estas funções), se o espaço físico escolar é minimamente razoável para atendimento das funções da escola – só depois disto é que pensaria em professores simulando doença

Denise

Não é justo punir toda a classe por causa de um ou outro.

Oliva

É uma vergonha, ,,senhor prefeito e senhor vice prefeito tenham um pouquinho de amor no coração e façam leis q beneficiam os professores q são massacrados com salários baixos para uma profissão de alta responsabilidade ., Q tal honrar nossos mestres professores e não deixa-Los desmotivados. Vou te dar uma dica bem legal prefeito aumenta o salário deles ai sim seria bonito .

Magna

Depoimentos fonte Facebook Cidadão Porto Belo, acesse Aqui e Aqui

Foto em destaque: Redes Sociais

Artigos da Categoria:
Educação

Faça um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *