Terminal Rodoviário do Perequê está sem contrato, alega responsável pelo prédio.

Escrito por

Rodoviária, muita confusão!

Solicitamos via Lei de Acesso à Informação quanto ao contrato de concessão a uso do Terminal Rodoviário de Perequê assinado em 2015, verificamos que muitas clausulas não são seguidas pela Prefeitura e concessionária.

Após a inauguração em 2016 teve muita confusão, o terminal logo fechou e depois abriu em 2018 por decreto do Prefeito Emerson.

Agora em 2019 a Prefeitura apresentou o mesmo contrato como oficial, o assinado por Carlos Leandro Moreira lá em 2015, porém o Leandro disse que não é mais o responsável pelo prédio, passou para seu irmão Alexandre e esse alega não ter nenhum contrato com a Prefeitura (na reunião realizada em 24 de março de 2019).

Então questionamos se esse contrato apresentado pela Prefeitura ainda se encontra em vigor e, caso positivo, se segue devidamente respeitado.

A resposta da gestão do Prefeito Emerson Stein e Vice Elias Cabral é sem conclusão, somente que precisa de mais tempo para analisar o contrato.

Espera aí: a gestão tem quase 2 anos e meio de atividade e não analisaram profundamente um contrato de seis páginas relacionado a mobilidade urbana em que as mudanças afetaram os usuários de origem e destino ao centro e Vila Nova?

A gestão pública não sabe responder perguntas simples: o contrato de concessão encontra-se em vigência e sendo respeitado?

Em resposta numa das demandas que encaminhamos ao Ministério Público a gestão pública disse que fiscaliza a Rodoviária. Baseado em qual contrato?

Esperaremos 30 dias para verificar se a gestão do Prefeito Emerson e Vice Elias consegue ler e argumentar sobre as responsabilidades desse contrato. Sem resposta a população não ficará. E os vereadores? Recebendo o salário todo o mês.

#Foto: inauguração em 2016 matéria do Hora de Porto Belo.

Artigos da Categoria:
Mobilidade

Faça um Comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *